O último SPFW, edição 43, que aconteceu entre os dias 13 e 17 de março desse ano, inaugurou um novo calendário da moda (meados de março e final de agosto) para se aproximar mais do calendário varejista e diminuir essa distância do consumidor.
Com 6 marcas novatas na passarela, o evento contou com 31 desfiles no total.

As marcas foram:

  1. Animale,
  2. UMA,
  3. João Pimenta,
  4. Lily Sarti,
  5. Osklen,
  6. Vitorino Campos,
  7. Sissa,
  8. Ellus,
  9. Lolitta,
  10. Gig Couture,
  11. Two Denim,
  12. PatBo,
  13. Lino Villaventura,
  14. Giuliana Romanno,
  15. Isabela Capeto,
  16. Memo,
  17. Fabiana Milazzo,
  18. Apartamento 03,
  19. Ellus 2nd Floor,
  20. A La Garçonne,
  21. Cotton Projetct,
  22. Alexandrine por Batista Dinho,
  23. Juliana Jabour,
  24. Amir Slama,
  25. Tig,
  26. Ratier,
  27. A.Niemyer,
  28. Sebrae Top 5,
  29. Reserva,
  30. Amapô,
  31. LAB.

Em 2015 participei do SPFW através da mostra Africa Africans que buscava representar um coletivo de estilistas Africanos. Pra mim foi muito importante participar do maior evento de moda do país. Pude vivenciar todas as etapas de casting durante uma semana e depois a prova de roupa e os bastidores bem agitados. Em contra partida tive a ciência de que aquele desfile, onde a maioria das modelos eram negras, não era um padrão se compararmos ao universo de todo evento.

Embora sejamos minoria nas passarelas, acredito que temos que nos fortalecer e nesse caminho tenho como referência alguns companheiros que desfilaram nessa última temporada:

Felipe Rocha
Instagram : @efirocha
“Desfilar no São Paulo fashion week é um orgulho interno e externo na minha vida pessoal e profissional. Orgulho interno por eu conseguir realizar um dos meus melhores sonhos que sempre foi desfilar nesse maior evento de moda do Brasil, e orgulho externo porque eu sinto que o negro vai sempre ganhando forças na sociedade conforme os dias vão passando, e isso não é diferente nas temporadas fashions.”

Heloísa Muniz
Instagram : @heloomuniz
“Foi minha primeira temporada, e meu primeiro desfile com um dos estilistas mais esperados do SPFW, eu realmente não esperava. Há uma semana antes do evento, eu tive uma conversa com uma pessoa do ramo, que me colocou muito pra baixo, com coisas negativas que eu já sabia que a moda tentava me impedir. Entretanto a beleza, que pra eles tem o significado de “uma menina muito diferente, então trabalharia apenas com jobs específicos, muito exótica”, pra mim deixo soar até como um elogio. E também em relação a minha altura, que não é considerada uma altura pro ramo “Fashion”, pois só tenho 1,70cm. Enfim, chegou o grande dia. Minha primeira temporada no SPFW, e ainda fui presenteada sendo a primeira para abrir o desfile da A Lá Garçone. Nada importa minha altura, eu sou do tamanho dos meus sonhos, seja qual for o sonho. Que talvez essa minha tal “diferença” (com um tom preconceituoso), é válida como algo positivo pra mim. As pessoas estão mal acostumadas e caretas demais com padrão normativo que a sociedade impõe, mesmo sendo um país com tanta diversidade. Isso só me fez querer mais de mim, acreditar, e seguir em frente. É só o começo. Pois como sabemos para cada dia vergonha, dupla honra”

Mouhamed Deme
Instagram : @mouhamed_27 
“SPFW pra mim foi um sonho participar desse grande evento pois observo a falta de trabalho para modelos negros. Eu fiquei muito feliz de desfilar para o laboratório fantasma e A La Garçonne.”

Rita Carreira
Instagram : @ritacarreiraa
“Pra mim foi extremamente importante porque se tratava não só de um desfile de moda, mas de muita representatividade envolvida. Eu fiquei muito feliz em ter sido escolhido em meio de tantas meninas plus que foram no casting, já perdi vários trabalhos por ser negra, e naquele momento me senti valorizada pelo meu trabalho, pois as modelos brancas eram a cota e não eu, como sempre acontece. Eu realizei não só um sonho meu, mas de várias meninas que admiram o meu trabalho e que se espelham em mim para seguir em frente. E a importância de estar participando de um evento como o SPFW me trouxe uma experiência maravilhosa e uma bagagem para minha carreira que com certeza vai contar muito, e espero que me abra muitas portas. Fiquei muito feliz que o Emicida tenha continuado com a proposta de inclusão de modelos plus no desfile dele. Fora que ele é de uma humildade e simpatia sem igual, merece todo o sucesso. Tratou todo mundo de igual para igual, sem diferenças. Porque ele sabe de onde ele veio, então ele sabe lidar muito bem com isso.”

Parabéns pra vocês amigos!!! E vamos vencendo as adversidades e abrindo espaços pois da onde viemos tem muito mais!!!!